Para ampliar o seu mapa favor clicar no ícone no canto superior direito do mapa

Próxima viagem de 5 a 21 outubro 2017

ITINERÁRIO RESUMIDO

1 o Dia Início KATHMANDU
2 o Dia KATHMANDU KATHMANDU
3 o Dia KATHMANDU KATHMANDU
4 o Dia KATHMANDU KATHMANDU
5 o Dia KATHMANDU KATHMANDU
6 o Dia KATHMANDU DHULIKHEL
7 o Dia DHULIKHEL KATHMANDU
8 o Dia KATHMANDU THIMPHU
9 o Dia THIMPHU PUNAKHA
10 o Dia PUNAKHA PUNAKHA
11 o Dia PUNAKHA THIMPHU
12 o Dia THIMPHU HAA VALLEY
13 o Dia HAA VALLEY HAA VALLEY
14 o Dia HAA VALLEY PARO
15 o Dia PARO PARO
16 o Dia PARO KATHMANDU
17 o Dia KATHMANDU Retorno ao Brasil

ITINERÁRIO DETALHADO

1 o Dia  Início KATHMANDU

Chegada
Traslado
Tarde livre em Boudhnath

Bem vindo(a) ao Nepal! Da pista do aeroporto, com o tempo permitindo, já é possível avistar as montanhas ao redor do vale. Com seu visto e mala em mãos, será recebido(a) por nosso representante local que estará lhe esperando com uma placa da Chörten. Você já terá saído do Brasil com o número do telefone do Guilherme que, desta forma, acompanhará sua ida ao Nepal, já fará contato durante o traslado e o(a) encontrará em nosso hotel. Para quem chegar pela manhã, uma tarde tranquila em nosso bairro tibetano para começar a se ajustar ao fuso do Nepal. Em volta da grande estupa (tib: chörten)de Boudhanath, repleto de monastérios, onde os tibetanos monásticos e laicos fazem suas koras (circumumbulações), girando as famosas rodas de orações com milhões de Om Mani Padma Hungs, recitando mantras e acendendo lamparinas principalmente nos finais de tarde e bem cedo pelas manhãs.

2 o Dia  KATHMANDU KATHMANDU

Briefing
Swayambunath
Kathmandu Durbar Square

Após merecido descanso da viagem até o Nepal, café da manhã e então faremos o nosso briefing. Conversaremos sobre importantes dicas práticas de viagem no Nepal e no  Butão como: trânsito, dinheiro, saúde, costumes, etc. Começaremos com nossas visitas com uma pequena caminhada na região da segunda maior estupa do vale, Swayambunath (tradução: auto surgida). Diz a lenda que o morro onde está a estupa surgiu no local onde o bodhisatva Manjushri, o bodhisattva da sabedoria, pegou uma flor de lótus após esvaziar o lago onde é hoje o Vale de Kathmandu. Teremos uma vista de toda cidade, faremos nossos koras em volta da estupa e conheceremos seus pequenos monastérios. De Swayambu seguiremos para a Durbar Square (Praça do Palácio) de Kathmandu onde vive uma pequena deusa viva, a Kumari. As durbar squares do Vale de Kathmandu foram construídas por reis herdeiros da dinastia Malla, séc. XII ao XVIII, que, nesse caso para a nossa sorte, competiam em beleza arquitetônica. São inúmeros templos dos diversos deuses hindus em torno do palácio. Caminharemos então até o bairro dos viajantes em Kathmandu, Thamel, com inúmeros bons restaurantes, lojas de montanhismo, artesanato nepalês, livrarias, para uma boa refeição e, se alguém precisar, comprar alguma roupa para os dias no Butão.

3 o Dia  KATHMANDU KATHMANDU

Monastérios
Kopan
Dudjom
Sakya
Ka-Nying
Shechen

Hoje visitaremos alguns dos principais monastérios do Vale de Kathmandu tendo boas oportunidades para conhecermos um pouco sobre os projetos dos seus grandes mestres. Primeiro visitaremos o Kopan, monastério do Lama Yeshe e do Lama Zopa Rinpoche, onde vivem algumas centenas de monges de todas as idades. É um importante centro de estudo para os sherpas e estrangeiros de todo o mundo. Em seguida, conheceremos os monastérios do Dudjom Rinpoche, chamado Dudjom Gompa, o monastério Sakya de Trinchen Rinpoche na kora da grande estupa de Boudhnath, do Chökyi Nyima Rinpoche, Chökling Rinpoche e Phakchok Rinpoche, chamado Ka-Nying Shedrub Ling, e do Matthieu Ricard, Rabjam Rinpoche e Dilgo Khyentse Rinpoche, chamado Shechen.

4 o Dia  KATHMANDU KATHMANDU

Pharphing
Thamel

Hoje iremos a um vilarejo em uma região mais tranquila aprox. 40 min ao sul do Vale de Kathmandu, Pharphing. Conheceremos duas importantes cavernas de Guru Rinpoche (Padmasambhava). Aqui, este grande mestre e pai do Budismo no Tibete realizou o terceiro nível de vidyadhara chamado o grande selo. Como o próprio Buda explicou, visitar locais onde grandes mestres viveram e meditaramé uma importante forma de acumulação de méritos. Poderemos pendurar bandeirolas tibetanas em um morro acima de Asura com uma vista muito bonita do vale e montanhas ao redor. Teremos tempo para caminhar pelo vilarejo como (convite) para uma prática de meditação do Buda Sakyamuni que teremos conosco, que nos foi autorizada pelo Rinpoche deste monastério e, quem se interessar, podemos fazer diariamente em locais auspiciosos como Pharphing, como em nosso hotel quando for mais conveniente. Na pedra ao lado de uma das cavernas que visitaremos, veremos um marca que Guru Rinpoche fez com sua mão.

No final do nosso dia retornaremos à região de Thamel para mais uma boa refeição.

5 o Dia  KATHMANDU KATHMANDU

Caminhada

Pashupatinath

Patan

Do nosso hotel faremos uma caminhada até o complexo de templos de Pashupatinath, que fica em torno do rio Bagmati, sagrado para os hindus. Além do templo principal, dedicado a manifestação mais tranquila de Shiva, Pashupati, há dezenas de pequenos templos também dedicados ao deus da destruição e reconstruição do Hinduísmo. Também é o local onde nepaleses que puderem serão cremados para assegurar uma boa passagem ou liberação (moksha). No final dessa manhã seguiremos à simpática Durbar Square de Patan, muito famosa pelos seus artistas e bonitos templos. Nela visitaremos um pequeno, muito bem feito e bastante didático museu de arte hinduísta e budista. Nas proximidades, visitaremos o pequeno e belo Templo Dourado, utilizado até os dias de hoje por nepaleses budistas da mesma etnia do próprio Buda Sakyamuni. Patan tem boas opções para o nosso almoço, é um excelente local para compra de estátuas budistas, de excelente qualidade,  como para caminharmos por essas ruas medievais e seus templos.

Reservamos tempo em nosso programa também para conversarmos, hoje ou em algum dia anterior (neste caso podendo remanejar o dia de alguma visita), com um professor budista de algum dos importantes monastérios que conhecemos. Podemos fazer perguntas, instruções sobre meditação, como tirarmos nossas dúvidas sobre o Budismo.

6 o Dia  KATHMANDU DHULIKHEL

Namo Buddha

Dhulikhel

Conheceremos hoje mais um vilarejo em uma região mais tranquila do Vale de Kathmandu, Primeiro seguiremos viagem por aprox. 2h30 até as montanhas ao redor do vale, Namo Buddha. Em uma vida anterior, Buda Sakyamuni, quando ainda era um bodhisattva, encontrou com uma tigresa faminta sem ter o que dar de comer aos seus filhotes. Buda, por conta do seu nível de realização, ofereceu seu próprio corpo onde há hoje um monastério do Thrangu Rinpoche. Logo abaixo, após uma agradável caminhada, há uma estupa onde os irmãos do Buda, naquela vida, guardaram suas relíquias. Montanha abaixo por alguns minutos até Dhulikhel. Chegaremos em nosso hotel, onde teremos um final de dia bastante tranquilo com um bela vista. Se o tempo estiver limpo, poderemos ver do restaurante do hotel e de nossas camas em nossos quartos as montanhas nevadas do Himalaya no pôr e nascer do sol.

7 o Dia  DHULIKHEL KATHMANDU

Bhaktapur

No caminho de volta à Kathmandu, visitaremos a terceira das principais antigas cidades do vale, Bhaktapur (bhakt: devoção e pur: cidade hindu). Bhaktapur é uma cidade tombada, com fluxo de veículos limitado. Caminhar por suas ruelas é como conhecer um pouco do dia a dia de uma época medieval no Nepal. De volta ao nosso bairro tibetano, nos prepararemos para nosso muito bonito voo ao Butão amanhã.

8 o Dia  KATHMANDU THIMPHU

Voo

Mercado local

Hoje nos despedimos do Nepal por alguns dias para um voo que seguirá ao lado das montanhas mais altas do nosso planeta, os Himalayas, em direção ao aeroporto de Paro, no Butão. Se o tempo permitir, veremos algumas das poucas montanhas com mais de 8 mil metros de altitude em todo planeta, incluindo o Everest. Pisar em solo butanês já é uma experiência… precisamos chegar lá para saber. Seguiremos com o veículo do grupo até a capital, Thimphu, por aprox. 1h30. No caminho, iremos parar para ver a confluência dos rios Thimphu e Paro, aonde há 3 estupas de estilos: Tibetano, Nepalês e Butanês. Poderemos caminhar no final do dia pelo mercado e, em seguida, podemos nos encontrar para uma meditação em grupo ou individual, como cada viajante preferir.

9 o Dia  THIMPHU PUNAKHA

Dochula Pass
Chimi Lhakhang
Nunnery

Hoje seguiremos viagem de Thimphu à Punakha, através do Dochula Pass, com seus 3080m de altitude. Dochula Pass, onde há muitas estupas e bandeiras de orações, oferece uma linda vista das montanhas em dias de sol. Após cruzarmos o passo e almoço, no caminho, faremos uma caminhada de aprox. 1h entre plantações de arroz e vilarejos até o Chimi Lhakhang, monastério de um grande mestre de sabedoria louca, conhecido como o Templo da Fertilidade. Dizem os locais que para engravidar é só rezar nesse templo! Logo antes de chegarmos em Punakha, visita ao monastério de monjas (nunnery) Sangchhen Dorji Lhuendrup Lhakhang, repleto de estátuas muito bonitas de Avalokiteshvara, Guru Rinpoche, Buda, 21 Taras, entre outras. O nunnery, além de ser uma instituição de ensino de alta qualidade do Dharma, também oferece aulas de tecelagem, thangkha (pintura) e confecção de estátuas.  Chegada ao hotel, jantar e descanso.

10 o Dia  PUNAKHA PUNAKHA

Khamsum Chörten
Rafting (opcional extra)
Punakha Dzong

Temos mais um dia bem especial. Pela manhã, um caminhada pelas plantações de pimenta e arroz, ao lado do rio Mo Chhu, até a especial chörten Khamsum. Construída para remover forças negativas, promover a paz, estabilidade e harmonia neste mundo tão impermanente. No alto desta colina, teremos uma vista muito bonita de todo vale de Punakha, com seus rios Feminino e Masculino, como são os seus nomes em Dzongkha, a língua do Butão. Como passeio opcional (extra) podemos fazer um muito agradável passeio de rafting pelas águas calmas do rio que passa ao lado da Dzong da cidade. À tarde, visitaremos então a Punakha Dzong, o Palácio de Grande Felicidade. Construída na junção dos rios Phochu e Mochu em 1637, foi sede do governo e religião no passado. Retorno ao hotel para um bom jantar.

11 o Dia  PUNAKHA THIMPHU

Memorial Chörten
Buddha Point
Escola de Arte
Tashichho Dzong

Retornando do vale mais a leste, Punakha, aproveitaremos o nosso dia em Thimphu. Faremos algumas koras junto com os butaneses ao redor da King’s Memorial Chörten (estupa em línguas de origem tibetana), idealizada pelo terceiro rei do país, o ‘pai do Butão moderno’, em nome da paz e prosperidade mundial. Visitaremos a grande estátua Kunsel Phodrang, ou Buda Point, de onde teremos uma visão do vale de Thimphu. Em seguida visitaremos Zorig Chusum, a escola de pintura, tecelagem e marcenaria tradicionais do Butão, onde os alunos estudam arte em um curso de 6 anos. No final da tarde visitaremos a Trashichhoedzong, a ‘fortaleza da gloriosa religião’, que é a sede governamental e religiosa do país, construída em 1641.

12 o Dia  THIMPHU HAA VALLEY

Monastério Karpo

Monastério Nagpo

Hoje seguiremos viagem de aproximadamente quatro horas a Haa Valley. No percurso iremos parar para ver a confluência dos rios Thimphu e Paro, aonde há estupas de 3 estilos diferentes: Tibetana, Nepalesa e Butanesa. Neste caminho veremos um monastério do séc.XV, chamado de “templo do cavalo excelente”. Em Haa Valley, teremos uma especial oportunidade de nos hospedarmos em uma homestay (casa local adaptada para nos receber). Visitaremos o Monastério de Lhakhang Karpo (Monastério Branco), seguido pelo Lhakhang Nagpo, (Monastério Preto). Em nossos dias em Haa Valley experienciaremos um pouco da vida em uma fazenda butanesa em um vale mais remoto desse incrível país.

13 o Dia  HAA VALLEY   HAA VALLEY

Caminhada

Vilarejo

Monastério Chhundu

Começaremos nosso dia com uma belíssima caminha pelo ao outro lado do vale até um vilarejo onde também está o monastério Chhundu Lhakhang. Esta será uma oportunidade para conhecermos uma casa butanesa mais isolada das estradas principais do país, com pouquíssimo contato com estrangeiros, assim como de caminharmos por suas trilhas nos Himalayas. Este monastério foi construído em honra de Ap Chhundu, o poderoso guardião do Vale de Haa.

14 o Dia  HAA VALLEY PARO

Museu Nacional
Rinpung Dzong

Hora de retornarmos à Paro, cidade onde pousamos no Butão, para primeiro visitarmos o muito interessante Museu Nacional, onde poderemos aprender mais um pouco sobre a cultura butanesa, sua história, flora e rica fauna. Do museu seguimos então à Dzong de Paro, com bonitos painéis e vista da cidade. Seguimos até a cidade onde poderemos aproveitar o mercado, inclusive para comprarmos frutas secas, chocolate, bandeirolas e incensos para a nossa especial caminhada de amanhã!

Carro: aprox. 5h

15 o Dia PARO PARO

Monastério Taktshang (Ninho do Tigre)
Gkyichu Lhakhang

Hoje é o grande dia da linda e especial caminhada ao Monastério Taktshang, o mais famoso do Butão encrostado numa rocha, onde é dito que Guru Rinpoche ali chegou sob as costas de uma tigresa e meditou um certo tempo. Poderemos visitar e sentar por alguns instantes em frente à caverna em que Guru Rinpoche meditou. É por isso que ele é assim chamado, o Ninho do Tigre, o templo mais sagrado do Butão. Pelos menos um vez ao ano os butaneses o visitam. Caminhada será de até aprox. 4 horas, com parada para um descanso de alguns minutos em uma cafeteria no meio do caminho. A volta é mais tranquila. Hoje também tentaremos visitar a estupa (tib: chörten) de Dilgo Khyentse Rinpoche, um dos maiores mestres da história do budismo. No caminho de volta à cidade, visitaremos o muito importante Kyichu Lhakhang, um dos 108 monastérios do séc.VII, construído pelo rei tibetano Songtsen Gampo. A construção desse templo marca o começo do Budismo no Butão.

16 o Dia  PARO KATHMANDU

Voo
Tarde livre

Hora de partirmos deste sagrado reino e retornarmos ao nosso querido e bagunçado Nepal, em nosso mais tranquilo bairro tibetano. Traslado ao aeroporto bem cedo pela manhã para outro belo voo literalmente ao lado dos Himalayas de volta a Kathmandu. Após check-in em nosso hotel, sempre solicitado e muito bem vindo, o dia de hoje será dedicado para assimilarmos tudo que experienciamos nestes dois especiais países e culturas. Já bastante familiarizados com o nosso bairro tibetano em volta da grande estupa de Boudhnath, como com vários locais da cidade e do vale, podemos aproveitar revisitando alguns de seus inúmeros importantes monastérios, cafés, restaurantes, museus e ‘lojinhas’. Podemos contemplar estes importantes locais, ler um livro, escrever, caminhar, fotografar, cuidar das lembranças se formos levar para nós mesmos como para amigos e familiares. No final do dia nos encontraremos para o nosso jantar de despedida.

17 o Dia  KATHMANDU Retorno ao Brasil

Traslado

Esperamos que tenha vivido bonitas e importantes experiências através do contato com culturas milenares que até os dias de hoje, em contextos mais isolados como em contextos modernos também, vivem valores que possivelmente são bastante novos para nós e nos serão de importante ajuda em nossos dia-a-dias. Traslado com assistência ao aeroporto para o voo de volta ao Brasil.